Hora do Conto

Vem aí mais uma hora do conto no próximo domingo às 11h (atenção à mudança de hora). Relembramos que é gratuita e não é necessária inscrição.

Para os que quiserem ler pedimos que enviem email com o pedido para HoraDoContoART@gmail.com.cartaz_hora do conto_20180325

Anúncios

“Afternoon Tea”

Mais um “Afternoon Tea” com todo o requinte do tradicional “chá das 5”.
Convívio animado e agradável, sempre em inglês. O próximo é no próximo dia 23 de março. As inscrições estão abertas.
Join us on the 23rd!!!28167094_522138044852303_8092441330534780508_n

Informações e Marcações pelo 21 840 97 77 ou 96 843 72 52

Quadradinho Verde – tese

Para que todos possam consultar a tese « Um Quadradinho de Verde» Caso e Metáfora de Ana Contumélias

 

TESE MESTRADO ANA-MC-ANDRE

 

“Quadradinho Verde”

“A propósito da eventual construção de uma nova igreja em telheiras, a Direção da ART emite o seguinte comunicado:

Durante os dois anos de mandato desta Direção, temos assistido a intervenções no bairro de Telheiras que, ou nos aparecem como factos consumados(Mira-Rio e Giras), sem aplicação de medidas corretivas de recurso, ou nos aparecem em projeto que depois de discutido e alterado, não chega a conclusão/execução (zona 30), ou ainda intenções de contenção dos graves problemas urbanísticos de circulação e estacionamento como a criação de parquímetros que tardam em se realizar.

Surgiu ainda outra questão fulcral relacionada com a nova expansão do Metro que priva Telheiras do acesso direto ao centro da cidade.

Aproveitando a evolução das acessibilidades, ao longo dos anos com particular incidência nos últimos, Telheiras tem vindo a ser ocupada por grandes conjuntos edificados, do tipo quarteirão, intrinsecamente mono-funcionais (Escola Alemã, Colégio Mira-Rio), que nada trazem de valor acrescentado ao bairro, uma vez que funcionam de maneira auto-suficiente e fechada, não dialogando com a multi-funcionalidade e multi-culturalidade de Telheiras, que foi na sua raiz e quer continuar a ser predominantemente habitacional.

São grandes equipamentos (mega-equipamentos à escala de Telheiras) que funcionam fundamentalmente para os habitantes de fora de Telheiras, para os quais também contribui o Estádio do Sporting que apesar de não estar no bairro lhe é confinante, e cujo crescimento de atividade tem sido exponencial.

Não trazendo valor acrescentado, trazem no entanto efeitos colaterais muito nefastos de trânsito e estacionamento, que acrescidos aos elencados anteriormente têm transformado o espaço urbano num caos cada vez mais acentuado pondo em risco a sua função habitacional, com escala humanizada.

Acreditamos que o bairro de Telheiras tem caraterísticas urbanísticas únicas que merecia, após mais de 30 anos, um estudo aprofundado por parte da Câmara e a classificação de interesse urbanístico, uma vez que preserva o ideário de uma nova modernidade humanizada do início dos anos 70, e é inclusivo quanto a épocas anteriores, como quarteirões de moradias, ou a Telheiras das Quintas.

Com este enquadramento, esta Direção opõe-se à construção da Nova Igreja para 600 lugares, com Casa Mortuária, acrescida de Centro Paroquial com um grande volume de construção, no local previsto, pelas seguintes razões objetivas:

1. Telheiras já tem uma Igreja histórica, do tempo de Telheiras das Quintas, e tinha um convento que foi ocupado pelo colégio Mira-Rio. Essa Igreja, não só serve perfeitamente as necessidades dos habitantes de Telheiras, como é uma referência de que não poderemos abdicar dada a sua perfeita continuidade dimensional, histórica, religiosa, cultural e urbanística. Consideramos assim que a nova igreja é na sua génese desnecessária para os telheirenses, sendo na prática muito nefasta para o bairro;

2. Consideramos que a nova igreja, para além de desnecessária, é mais uma mega-estrutura á escala do bairro, que servindo os restantes habitantes da cidade, torna o trânsito e o estacionamento infernais para os habitantes de Telheiras;

3. Essas condições seriam ainda agravadas pelo facto da implantação da nova estrutura ser confinante com uma Escola e um Jardim de Infância. O que iria acontecer nas horas criticas de tomada e largada de passageiros, que coincidirá com o funcionamento da Casa Mortuária? Nada de bom certamente;

4. E faz sentido implantar uma casa mortuária junto de uma escola e um Jardim de Infância? Consideramos que não;

5. Desconhecendo o Programa do Centro Paroquial, questionamos também a sua necessidade para os habitantes de Telheiras, configurando-se no entanto com uma volumetria esmagadora à escala do bairro, dentro da linha do mega-edificado destinado aos restantes habitantes da cidade, contribuindo mais uma vez para o impacto destrutivo da circulação e estacionamento.

Aproveitando a instalação de serviços da JFL no Lagar, que confirma uma centralidade emergente nessa área do bairro para o que contribuem equipamentos existentes, bem dimensionados à escala de Telheiras, pedimos que os organismos competentes da Junta de Freguesia do Lumiar (JFL) e da Câmara Municipal de Lisboa (CML) travem a construção de uma Nova Igreja e que planeiem e executem urgentemente a salvaguarda de uma urbanidade vivida por esta comunidade que habita e desenvolve as suas atividades em Telheiras.

Acresce ainda o facto de ser a zona agora em debate, um marco na luta dos habitantes de Telheiras ao seu direito de mais um “Quadradinho Verde” no bairro (Tese defendida nos anos noventa por Ana Contumélias, disponível para consulta na sede da ART).

Pedimos também aos Telheirenses que compareçam ativamente na sessão de esclarecimento promovida pela JFL no próximo dia 15 do corrente, às 21h, na Biblioteca Orlando Ribeiro.

Com os maiores agradecimentos às promotoras da petição “Oposição à intervenção urbanística prevista para o terreno adjacente ao JIT e à EB1 de Telheiras”.

A Direção da ART”

Tarde Criativa

TardeCriativaFlyer

Energia da Felicidade – Oficinas de Março

 
MEDITAÇÃO E MINDFULNESS – 11 e 18 de Março (10h30 – 11h30)
********************************************************************************
Dia 11 de Março com o tema Dar e Receber
Dia 18 de Março com o tema O que fazes regressa a ti
Estas oficinas visam proporcionar uma experiência de autoconhecimento, desenvolvimento do SER e da autorregulação que ajudam as crianças, por meio de jogos cooperativos e de descoberta, exercícios de relaxamento, exercícios de respiração e meditação guiada, a dar passos para dentro – a conhecerem-se melhor, a descobrirem e ouvirem a sua voz, a descobrirem as suas forças interiores, a lidarem com as suas emoções, a pensarem de forma positiva, focando-se no que lhes traz bem-estar.
Para crianças dos 6 aos 12 anos.
ENERGIA DAS ÁRVORES – 17 de Março (10h30 às 12h00)
**********************************************************************
As crianças adoram a Natureza e são principalmente atraídas pelas árvores, pelo seu tronco, pelas raízes, pelos ramos que podem trepar e pelos frutos que às vezes podem recolher. Instintivamente, as crianças (e os adultos) se sentem reconfortadas quando estão rodeadas destes maravilhosos seres vivos do nosso planeta. Absorvem as suas energias e aprendem a ser como elas – calmas e fortes, vivas e nutridas, a sonharem alto, a largarem o que não precisam para se renovarem.

Vamos refletir sobre o que é que as árvores nos transmitem, o que nos dão tão generosamente, o que nos fazem sentir, como nos amparam as emoções quando precisamos, como nos equilibram e dão forças? E como é que as devemos respeitar, cuidar, amar para que continuemos a conviver em equilíbrio por muitas mais gerações. 

REIKI PARA PAIS E FILHOS – 17 de Março (16h às 18h)
*******************************************************************
Sessão com o tema “Trabalho honestamente”.
O projeto visa a divulgação e o trabalho em família dos cinco princípios de Reiki. Focamos na aprendizagem de estratégias para gerir a nossa energia e melhorar o próprio equilíbrio e harmonia, assim como estratégias parentais centradas no desenvolvimento do SER como um TODO.